Porque a Vida é Agora!

Porque a Vida é Agora! - Considerações Sobre o Mal-Estar na Cultura Pós-Moderna

Thalita Lacerda Nobre

Versão impressa

No momento estamos vendendo apenas eBooks em nosso site!

Versão digital

Disponível para: Android iOS
por € 14,76 + IVA Adicionar ao carrinho


Detalhes

Autor(es): Thalita Lacerda Nobre

ISBN v. impressa: 978989712850-9

ISBN v. digital: 978853629523-7

Encadernação: Capa mole

Número de páginas: 246

Publicado em: 09/02/2022

Idioma: Português Brasileiro

Sinopse

Este livro traz algumas reflexões e discussões sobre questões psicológicas atuais. A partir da contribuição de autores dos campos da Sociologia, Filosofia e Psicanálise, a autora busca contextualizar o panorama da cultura atual e seus impactos na subjetividade do sujeito. A partir da experiência em consultório, docência com jovens e grupo de estudos, observa-se que ao longo dos tempos as transformações sociais têm ocorrido com intensa rapidez, modificando hábitos e opiniões. A pandemia do novo Coronavírus se instalou como um período em que essas mudanças se tornaram mais visíveis. O desenvolvimento da tecnologia da informação e dos meios de controle tem proporcionado diversas modificações no modo do sujeito de viver no mundo com os outros. Com o intuito de discutir acerca desses e de outros aspectos da pós-modernidade, a autora vai construindo, ao longo da obra, uma conversa com o leitor em que apresenta diversas questões e propostas de caminhos para o pensamento acerca do que se configura como o mal-estar da atualidade, desde o que poderia estar contido na atual configuração do modo de organização social até o modo de aparecimento e enfrentamento das doenças mentais.

Autor(es)

THALITA LACERDA NOBRE

Pós-Doutora em Psicologia clínica pela PUC-SP. Docente do Mestrado em Psicologia, desenvolvimento e Políticas Públicas na Universidade Católica de Santos. Atua em consultório particular. Autora de diversos livros e artigos científicos.

Sumário

INTRODUÇÃO, p. 11

1 MAL-ESTAR E SUBJETIVIDADE, p. 19

1.1 SUJEITO INDIVIDUAL E SUJEITO SOCIAL, p. 19

1.2 O QUE PODE HAVER NO MAL-ESTAR, p. 21

1.3 EROS E A ORGANIZAÇÃO SOCIAL, p. 23

1.4 A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO COMO FORMA DE ALIMENTO AO NARCISISMO, p. 31

1.5 O SUJEITO EM FORMAÇÃO E A PÓS-MODERNIDADE, p. 35

1.6 A CONSTRUÇÃO DA SUBJETIVIDADE, p. 37

1.6.1 O Cotidiano Entre o Privado e o Público, p. 47

1.6.2 Sobre o Trabalho, a Organização Social, a Vida Privada e Pública, p. 53

2 A SEGUNDA METADE DO SÉCULO XX E A SUBJETIVIDADE DA VIDA PÚBLICA E PRIVADA, p. 57

2.1 AS TELENOVELAS E A SOCIEDADE BRASILEIRA DO SÉCULO XX, p. 64

2.2 MOVIMENTOS SOCIAIS DA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XX E INÍCIO DO SÉCULO XXI, p. 68

2.3 O LUGAR DO PAI NA CONSTITUIÇÃO DA IDENTIFICAÇÃO DO SUJEITO, p. 74

2.4 A VIDA POLÍTICA SE TORNA MAIS COMPLEXA, p. 93

2.5 O SUPERLATIVO DA PÓS-MODERNIDADE: A HIPERMODERNIDADE, p. 109

3 TRANSFORMAÇÕES NO MODO DE EXISTIR NA PÓLIS, p. 117

3.1 UMA SOCIEDADE EM REDE, p. 117

3.2 A MASSIFICAÇÃO, O PAI, A MÃE E OS IRMÃOS, p. 128

3.3 O FEMINISMO CONTEMPORÂNEO, A CRISE MASCULINA E O REPÚDIO À FEMINILIDADE, p. 149

3.4 O ESPETÁCULO DO EU DESVALORIZADO, p. 161

3.5 "NOVILÍNGUA" OU "NOVIDISCURSO"?, p. 173

4 A VIDA AGORA QUE (NÃO) VALE A PENA SER VIVIDA, p. 185

4.1 OS DEPRESSIVOS E SEUS EXCESSOS DE REALIDADE, p. 191

4.2 O DESTINO DOS SUBMISSOS, p. 203

4.3 A ARTE DA EXISTÊNCIA, p. 206

4.4 O PERIGO ESTÁ NO OUTRO, p. 216

CONSIDERAÇÕES FINAIS, p. 223

REFERÊNCIAS, p. 229

PÓS-ESCRITO, p. 235

Índice Alfabético

A

  • Arte da existência, p. 206

C

  • Complexidade. Vida política se torna mais complexa, p. 93
  • Considerações finais, p. 223
  • Construção da subjetividade, p. 37
  • Contemporaneidade. Feminismo contemporâneo, a crise masculina e o repúdio à feminilidade, p. 149
  • Cotidiano entre o privado e o público, p. 47
  • Crise masculina. Feminismo contemporâneo, a crise masculina e o repúdio à feminilidade, p. 149

D

  • Depressivos e seus excessos de realidade, p. 191
  • Destino dos submissos, p. 203
  • Desvalorização. Espetáculo do eu desvalorizado, p. 161

E

  • Eros e a organização social, p. 23
  • Espetáculo do eu desvalorizado, p. 161
  • Existência. Arte da existência, p. 206

F

  • Feminilidade. Feminismo contemporâneo, a crise masculina e o repúdio à feminilidade, p. 149
  • Feminismo contemporâneo, a crise masculina e o repúdio à feminilidade, p. 149
  • Formação. Sujeito em formação e a pós-modernidade, p. 35

H

  • Hipermodernidade. Superlativo da pós-modernidade: a hipermodernidade, p. 109

I

  • Identificação do sujeito. Lugar do pai na constituição da identificação do sujeito, p. 74
  • Individual. Sujeito individual e sujeito social, p. 19
  • Informação. Tecnologia da informação como forma de alimento ao narcisismo, p. 31
  • Introdução, p. 11
  • Irmãos. Massificação, o pai, a mãe e os irmãos, p. 128

L

  • Lugar do pai na constituição da identificação do sujeito, p. 74

M

  • Mãe. Massificação, o pai, a mãe e os irmãos, p. 128
  • Mal-estar e subjetividade, p. 19
  • Mal-estar. O que pode haver no mal-estar, p. 21
  • Massificação, o pai, a mãe e os irmãos, p. 128
  • Modo de existir. Transformações no modo de existir na pólis, p. 117
  • Movimentos sociais da segunda metade do século XX e início do século XXI, p. 68

N

  • Narcisismo. Tecnologia da informação como forma de alimento ao narcisismo, p. 31
  • "Novidiscurso". Novilíngua" ou "novidiscurso"?, p. 173
  • "Novilíngua" ou "novidiscurso"?, p. 173

O

  • Organização social. Eros e a organização social, p. 23
  • Organização social. Sobre o trabalho, a organização social, a vida privada e pública, p. 53

P

  • Pai. Lugar do pai na constituição da identificação do sujeito, p. 74
  • Pai. Massificação, o pai, a mãe e os irmãos, p. 128
  • Perigo está no outro, p. 216
  • Pólis. Transformações no modo de existir na pólis, p. 117
  • Política. Vida política se torna mais complexa, p. 93
  • Pós-escrito, p. 235
  • Pós-modernidade. Sujeito em formação e a pós-modernidade, p. 35
  • Pós-modernidade. Superlativo da pós-modernidade: a hipermodernidade, p. 109
  • Privado. Cotidiano entre o privado e o público, p. 47
  • Público. Cotidiano entre o privado e o público, p. 47

R

  • Realidade. Depressivos e seus excessos de realidade, p. 191
  • Rede. Uma sociedade em rede, p. 117
  • Referências, p. 229

S

  • Século XX. Movimentos sociais da segunda metade do século XX e início do século XXI, p. 68
  • Século XX. Segunda metade do século XX e a subjetividade da vida pública e privada, p. 57
  • Século XX. Telenovelas e a sociedade brasileira do século XX, p. 64
  • Século XXI. Movimentos sociais da segunda metade do século XX e início do século XXI, p. 68
  • Sobre o trabalho, a organização social, a vida privada e pública, p. 53
  • Social. Sujeito individual e sujeito social, p. 19
  • Sociedade brasileira. Telenovelas e a sociedade brasileira do século XX, p. 64
  • Sociedade. Uma sociedade em rede, p. 117
  • Subjetividade. Construção da subjetividade, p. 37
  • Subjetividade. Mal-estar e subjetividade, p. 19
  • Subjetividade. Segunda metade do século XX e a subjetividade da vida pública e privada, p. 57
  • Submisso. Destino dos submissos, p. 203
  • Sujeito em formação e a pós-modernidade, p. 35
  • Sujeito individual e sujeito social, p. 19
  • Sujeito. Lugar do pai na constituição da identificação do sujeito, p. 74
  • Superlativo da pós-modernidade: a hipermodernidade, p. 109

T

  • Tecnologia da informação como forma de alimento ao narcisismo, p. 31
  • Telenovelas e a sociedade brasileira do século XX, p. 64
  • Trabalho. Sobre o trabalho, a organização social, a vida privada e pública, p. 53
  • Transformações no modo de existir na pólis, p. 117

U

  • Uma sociedade em rede, p. 117

V

  • Vida agora que (não) vale a pena ser vivida, p. 185
  • Vida política se torna mais complexa, p. 93
  • Vida privada. Segunda metade do século XX e a subjetividade da vida pública e privada, p. 57
  • Vida privada. Sobre o trabalho, a organização social, a vida privada e pública, p. 53
  • Vida pública. Segunda metade do século XX e a subjetividade da vida pública e privada, p. 57
  • Vida pública. Sobre o trabalho, a organização social, a vida privada e pública, p. 53